Menu
iFood News

Potência Tech oferece 300 bolsas para curso de programação

O programa Potência Tech, do iFood, oferece até 11 de março 300 bolsas para cursos de programação —saiba aqui como participar.

09/03/2022 23h03


Potência Tech oferece 300 bolsas para curso de programação

Inscrições vão até o dia 11 de março e focam em grupos sub-representados
em tecnologia, como mulheres e pessoas negras


O iFood está oferecendo 300 bolsas integrais para os cursos de programação da plataforma de aprendizado Rocketseat para quem faz parte de um dos grupos que atualmente são sub-representados na área de tecnologia. As inscrições vão até o dia 11 de março e devem ser realizadas no site do Potência Tech.

Para concorrer a uma das bolsas, é preciso ter mais de 18 anos, fazer parte de um perfil sub-representado na área —como mulheres (cis ou trans), pessoas negras, amarelas, indígenas, LGBTQIA+ ou com deficiência)— e/ou ter renda familiar de até R$ 2.000 por pessoa. Ter conhecimento de tecnologia não é necessário.

“Queremos trazer diversidade para o setor de tecnologia, que hoje forma bem menos profissionais do que o mercado demanda. Para isso, entendemos que é necessário agir agora para capacitar e desenvolver pessoas”, comenta Luana Lunna, gerente de educação do iFood.

O Potência Tech é a plataforma de capacitação do iFood para pessoas que querem conhecer o universo da tecnologia e encontrar um emprego nessa área. Além de oferecer cursos gratuitos e bolsas de estudo, o programa traz conteúdo para apoiar a entrada nesse mercado de trabalho e o desenvolvimento de carreira.

Desde que foi criado, em outubro de 2021, o Potência Tech ofereceu 3.000 vagas relacionadas a cursos variados, como os de back-end (códigos que permitem que a parte visual de um aplicativo ou sistema funcione corretamente), front-end (desenvolvimento da interface gráfica), full-stack (profissional que trabalha no back-end e no front-end) e data (tratamento e análise de dados).

Essa iniciativa está ligada ao compromisso de educação do iFood (o iFood Decola) de formar 25 mil pessoas na área de tecnologia de baixa renda e, dessa forma, contribuir para reduzir o risco de apagão tecnológico no Brasil.

Hoje, estima-se que existam mais de 100 mil vagas abertas e não preenchidas na área de tecnologia no país, pois o número de pessoas formadas por ano (53 mil) é inferior à demanda do mercado (159 mil), segundo a Brasscom (Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação e de Tecnologias Digitais).

Leia mais

iFood contrata 40 novos talentos ‘acelerados’ na empresa


O que é o apagão tecnológico — e como reverter esse cenário


6 dicas de jovens mentores em tech para iniciar essa carreira


Setor de serviços volta a crescer, com foco em tecnologia